Fita de vedação GORE® Série 500

Essa fita de vedação moldada 100% de ePTFE excepcionalmente resistente à deformação fornece um desempenho de vedação livre de preocupações para flanges de aço grandes.

Contate-nos

Brasil

+55 11 5502 7800

EUA

+1 800 523 4673

Austrália

+61 2 9473 6800

China

+8621 5172 8299

França

+33 1 56 95 65 65

Alemanha

+49 89 4612 2215

Hong Kong

+852 2622 9622

Índia

+91 22 67687000

Itália

+39 045 6 20 92 50

Japão

+81 3 6746 2600

Coreia

+82 2 393 3411

Países-Baixos

+31 13 507 47 00

Polônia

+48 22 6 45 15 37

Escandinávia

+46 31 706 78 00

Cingapura

+65 6733 2882

África do Sul

+27 71 467 7710

Espanha

+34 93 4 80 69 00

Emirados Árabes Unidos

+971 2 5089444

Reino Unido

+44 1506 46 01 23

Biblioteca de Recursos

Guia de seleção de produtos de vedação

Vedações para aplicações industriais

Guia de seleção de produtos de vedação

Guias de Seleção de Produtos

Descubra qual produto de vedação GORE® se adapta a sua necessidade

Portuguese

Visão geral

Uma bobina da fita de vedação GORE Série 500 fornece uma solução imediata e econômica para desafios de vedação que exigem um desempenho confiável e durabilidade estendida. Esse produto avançado, com sua resistência à deformação líder da indústria, é projetado para maximizar a confiabilidade operacional de aplicações com flanges de aço grandes, especialmente naquelas com ciclos térmicos.

O que torna a fita de vedação GORE Série 500 tão avançada e valiosa?

Tecnologia patenteada que supera o desempenho de outras vedações de ePTFE

A fita de vedação GORE Série 500 é feita de 100% politetrafluoroetileno expandido (ePTFE), usando uma tecnologia de fabricação patenteada da Gore que fornece uma confiabilidade de vedação excepcional, especialmente em flanges de aço grandes ou com formas irregulares.

Devido à sua estrutura interna, a fita de vedação GORE Série 500 se sobressai na resistência ao fluxo frio e à deformação. Testes comprovam que a fita de vedação GORESérie 500 é quase duas vezes mais eficaz em resistir à deformação do que outras marcas de fitas de ePTFE.

Resistência à deformação - Série 500

O diagrama reflete os dados de resistência à deformação com base na EN13555 usando uma fita de 15 mm x 3 mm moldada em um anel com emendas de 150 mm. Os valores de PQR foram obtidos com o estresse inicial de vedação de 30 MPa a 150°C.

Fita de vedação GORE Série 500
Rigidez superior vs. Junta única

Forma e funcionalidade otimizadas

A fita de vedação GORE Série 500 é uma fita de vedação moldada de alto desempenho - da Gore, a empresa que inventou essa categoria de produto 40 anos atrás. Ela se adapta a qualquer forma, instantaneamente. É tão fácil manuseá-la e instalá-la, que até mesmo flanges grandes são trabalho para apenas uma pessoa.

A fita de vedação GORE Série 500 é também altamente adaptável, compensando irregularidades consideráveis de flange. A vedação resultante é muito firme e duradoura, aprimorando a confiabilidade e segurança geral do sistema.

Feita de 100% ePTFE quimicamente inerte, a fita de vedação GORE Série 500 resiste de maneira durável aos rigores de processos químicos agressivos. Ela resiste a todos os meios de processo (pH 0-14), exceto metais alcalinos fundidos/dissolvidos e flúor elemental. Versátil o suficiente para uso em sistemas de processo com base em alcalinos, ácidos e solventes fortes, a fita de vedação GORE Série 500 é uma solução única para várias necessidades de vedação.

GORE Série 500
Sealability Proof of the Skive Joint

Poupa tempo, dinheiro e problemas

A fita de vedação GORE Série 500 fornece vantagens significantes no local e externamente.

Ela elimina o tempo de latência, custos e complexidades associadas ao projeto, especificação, obtenção, envio, armazenamento e instalação de vedações pré-fabricadas tradicionais de peça única.

A Série 500 fornece um desempenho de vedação excepcionalmente confiável, enquanto torna as instalações de vedação mais rápidas, mais econômicas e mais simples.

Especificações técnicas

Informações técnicas

Material 100% PTFE (politetrafluoroetileno) expandido, com força multidirecional.
Esse produto é fornecido com um lado adesivo para auxiliar na instalação do produto.
Resistência química Resistência química a todos os meios de pH 0-14, exceto metais alcalinos fundidos e flúor elemental.

 

Faixa operacional A pressão e temperatura máximas aplicáveis dependem, principalmente, do equipamento e da instalação.
  • Uso típico: -60 °C a 230 °C (-76 °F a 445 °F); vácuo industrial total(1) a 40 bar (580 psi)
  • Utilização máxima: -269 °C a 315 °C (-452 °F a 600 °F); vácuo total a 70 bar (1000 psi)

Para aplicações que estejam fora da faixa de uso típico, a Gore recomenda um cálculo de projeto de engenharia com aplicação específica e cuidado extra durante a instalação. Além disso, leve em consideração um novo torqueamento após um ciclo térmico quando o equipamento tiver retornado a uma condição de temperatura ambiente. Entre em contato com a Gore caso precise de orientação adicional.

Tempo de armazenamento ePTFE não é sujeito ao envelhecimento e pode ser armazenado indefinidamente. Para garantir uma função adesiva otimizada, nós recomendamos o uso dentro de até dois anos da data de compra quando armazenado sob condições(2) normais

(1) pressão absoluta de 1 mmHg (Torr) = 133 Pa = 1,33 mbar = 0,019 psi
(2) 21°C (70°F) 50% umidade relativa

Tamanhos disponíveis

A fita de vedação GORE Série 500 está disponível com larguras, espessuras e combinações de comprimento de bobinas variados.

Largura*

10mm 3/8"
15mm 1/2"
20mm 3/4"
25mm 1"
30mm 1,25"
40mm 1,5"
50mm 2"

* Produtos disponíveis em combinações de espessura 3 mm & 6 mm

Todas as partes são fabricadas em dimensões métricas.

Dados de teste

Relaxamento da deformação

  Temperatura de teste Espessura
    3 mm (1/8") 6 mm (1/4")
Relaxamento da deformação 23°C (73°F) 5% 10%
169°C (336°F) 43% 54%

Com base na EN 13555, este teste foi realizado com uma rigidez de fixação de 500 kN/mm, no estresse mínimo para vedação, com faixas de 30 mm de largura.

Capacidade de vedação

  Espessura
  3 mm (1/8") 6 mm (1/4")
Estresse mínimo para vedação para obter uma taxa de vazamento de nitrogênio de 0,1 mg/(s·m) 19 MPa
(2.755 psi)
23 MPa
(3.335 psi)

Este teste foi realizado utilizando fitas de 30 mm de largura moldadas em um círculo de 150 mm de diâmetro.

Máximo estresse da superfície (ESMAGAMENTO)

  Temperatura de teste Espessura
    3 mm (1/8") 6 mm (1/4")
Máximo estresse da superfície Ambiente 170 MPa
(25.000 psi)
160 MPa
(23.000 psi)

Com base na EN 13555, este teste foi realizado usando uma vedação de anel de 65 mm x 85 mm.

Fatores de design de vedação

EN 13555

EN 13555 fornece um método de teste para gerar os parâmetros de vedação usados nos cálculos EN 1591-1. O apêndice informativo G fornece algumas orientações para gerar parâmetros de design de vedação para produtos moldados.

Definições de constantes de vedação

PQR Uma medida do relaxamento de fluência em uma temperatura pré-definida. É a relação entre o estresse da vedação após o relaxamento e o estresse inicial da vedação. O valor ideal de PQR é 1. Quanto mais próximo o valor do teste estiver do valor ideal, menor será a perda de estresse da vedação.
Qmin(L) O estresse mínimo necessário de vedação em temperatura ambiente para uma certa classe de vazamento L quando a vedação é primeiramente instalada.
QSmin(L) O estresse mínimo de vedação necessário para uma certa classe de vazamento L em operação.
QSmax A máxima tensão de esmagamento que pode ser aplicada na junta, sem danos ou intrusão no diâmetro interno, a temperaturas indicadas. Ele depende da temperatura e da espessura da vedação.
EG Recuperação (comportamento elástico) de uma vedação na redução de carga, e está relacionada ao módulo de elasticidade. Ela depende do estresse de vedação aplicado, da espessura da vedação e da temperatura.

 

Descrição do método geral de teste

PQR O relaxamento de fluência é medido em temperaturas diferentes, estresse inicial da vedação, valores de espessura da vedação e valores de rigidez do flange. A vedação inicialmente é exposta ao estresse de vedação pré-definido e, em seguida, a temperatura é aumentada e mantida por quatro horas. Em seguida, o estresse residual da vedação é medido.
Qmin;
QSmin
Uma carga é aplicada e removida da vedação em incrementos pré-definidos, com o vazamento sendo medido de forma constante. A pressão interna é de normalmente 40 bar (gás de teste: hélio).
QSmax;
EG

O estresse da vedação é aumentado ciclicamente e, em seguida, reduzido para 1/3 do estresse de vedação anterior. A espessura da vedação é medida. O teste é repetido em temperaturas variadas.


O valorG é calculado a partir das reduções de carga e alterações de espessura. Para QSmax, uma queda repentina na espessura da vedação representa falha. Se uma queda repentina ocorrer, o valor da etapa de carga antes da falha é registrado. No caso de não ocorrerem falhas, o maior estresse de vedação possível do equipamento de teste é registrado. O valor identificado é então usado como o estresse inicial em um teste de PQR para verificar o QSmax final sob uma carga constante.

Resultados do teste

Abaixo você encontra os resultados de teste por espessura de vedação.

m & y

m & y são constantes de vedação usadas para design de flanges conforme especificado no Código de Pesquisa de Vasos de Pressão e Caldeiras ASME, Seção VIII, Divisão 1, Apêndice 2. As taxas de vazamento versus os estresses Y e o fator m para vedações estão atualmente sendo propostos como um novo método de teste no Grupo de Trabalho ASTM F03.

Definições de constantes de vedação

O fator de manutenção, m, é um fator que descreve a quantidade de pré-carga adicional necessária para manter uma carga compressiva em uma vedação após a pressão interna ser aplicada a uma junta. 

A pressão de esmagamento, y, é o estresse compressivo mínimo (psi) necessário para obter uma vedação inicial.

  Espessura
  3 mm (1/8") 6 mm (1/4")
m 2,5 2,5
y 2.750 psi 3.330 psi

Este teste foi realizado utilizando fitas de 30 mm de largura moldadas em um círculo de 150 mm de diâmetro.

AD 2000 B7

Não há padrões de teste específicos para os parâmetros de vedação AD 2000 B 7. A edição 2015 da “AD 2000 B 7-Merkblatt” refere-se à norma EN 13555 como um padrão de teste(1) e utiliza a tabela 9 da norma VDI 2200(2) para o método de conversão. Observe que a VDI afirma que tal conversão é inválida devido aos métodos de medição diferentes. "Apenas o método de acordo com DIN EN 1591-1 e AD 2000 em conjunto com a análise de DIN EN 1591-1 e FE pode ser usado para fornecer prova de estabilidade, de estanqueidade e de TA Luft."(3)

A Gore apoia a utilização da AD 2000-Merkblatt B 7 e fornece os parâmetros de vedação necessários abaixo.

Existem as seguintes relações(1):

k0KD ≙ Qmin · bD
k1 ≙ (QSmin / p) · bD desde que m ≙ (QSmin / p)(4)
k0KDϑ ≙ QSmax · bD

onde,

Qmin mínimo estresse de vedação necessário em temperatura ambiente quando a vedação é primeiramente instalada (com base na EN 13555)
QSmin estresse de vedação mínimo necessário em serviço (com base na EN 13555)
QSmax Estresse máximo de vedação que pode ser aplicado sobre a vedação a uma temperatura indicada ϑ (com base na EN13555)
bD Largura da vedação
p Pressão interna do meio
k1 Parâmetro de vedação AD2000 B7 para condição de operação
k0KD Parâmetro de vedação AD2000 B7 para deformação da vedação
k0K Parâmetro de vedação AD 2000 B 7 para deformação da vedação em serviço a temperatura ϑ

Para a fita de vedação GORE Série 500 em uma espessura de 3 mm e com uma pressão interna de 40 bar (580 psi), isso resulta em:

  • k1 = 2.5 · bD
  • k0KD = 22 MPa · bD
  • k0KDϑ = 120 MPa · bD Temperatura ϑ = 230°C (446°F)

Se for necessário para uma aplicação específica, a Gore recomenda fazer conversões individuais com base nos dados da EN 13555.

A utilização dos valores gerais apresentados na tabela 1 da AD 2000-Merkblatt B 7(5) não é amplamente recomendada. No entanto, eles podem ser aplicados, dependendo da situação em causa.

Observe também que as normas citadas da DIN 2690 à DIN 2692 foram substituídas pela EN 1514-1, em 1997.

(1)Arbeitsgemeinschaft Druckbehälter: AD 2000-Merkblatt B 7, Berechnung von Druckbehältern, Schrauben, Seite 4, 7.1.2.4, April 2015
(2)Verein Deutscher Ingenieure e. V.: VDI2200, Tight flange connections - Selection, calculation, design and assembly of bolted flange connections, page 36, table 9, June 2007
(3)Verein Deutscher Ingenieure e. V.: VDI2290, Emission Control - Sealing constants for flange connections, page 8, June 2012
(4)Observe que o fator m = QSmin / p foi definido pela DIN V 2505 que foi substituída pela EN 1591-1 onde m não é mais utilizado
(5)Arbeitsgemeinschaft Druckbehälter: AD 2000-Merkblatt B 7, Berechnung von Druckbehältern, Schrauben, Seite 6, Tabelle 1, April 2015

Informações sobre certificações e aplicações

Teste de TA Luft de acordo com VDI 2200

Para o teste TA Luft1, a vedação é instalada em um flange de aço DN40/PN40, normalmente com um estresse de vedação de 30 MPa. O flange é então exposto a uma temperatura definida por no mínimo 48 horas. Após o arrefecimento, a taxa de vazamento é medida durante um período de pelo menos 24 horas. A pressão de teste é de 1 bar hélio.

A taxa final de vazamento após uma duração de teste de 24 horas deve permanecer abaixo de 10–4 mbar*l/(s*m) para que a vedação seja qualificada de acordo com TA Luft.

Os certificados TA Luft estão disponíveis para espessuras de 3mm e 6mm.

1Federal Ministry of Germany for the Environment, Nature Conservation, Building and Nuclear Safety: First General Administrative Regulation Pertaining the Federal Emission Control Act (Technical Instructions on Air Quality Control - TA Luft), Joint Ministerial Gazette, July 30, 2012.

Serviço de oxigênio

Federal Institute for Materials Research and Testing (BAM) testa a compatibilidade do material de vedação para uso em conexões com flanges com oxigênio líquido e gasoso. Mais informações sobre o procedimento do teste e o resultado podem ser encontradas no seguinte relatório do teste. Observe que o teste foi conduzido sem a proteção adesiva.

Fluoreto e cloreto lixiviáveis

Esse teste analisa os íons de fluoreto e cloreto lixiviáveis solúveis em água que podem induzir a corrosão do flange. As amostras foram lixiviadas por 24 horas a aproximadamente 95°C em água desmineralizada. Contate a Gore para mais informações se esse teste for necessário para sua aplicação.

Folhetos técnicos de segurança (SDS)

Os produtos de vedação GORE correspondem à definição de um artigo; portanto, o Folheto Técnico de Segurança do Material (MSDS), ou Folheto Técnico de Segurança (SDS), não é necessário. No entanto, para sua conveniência, um folheto de segurança do produto (PSS), que detalha o uso pretendido e manuseio adequado de nossos artigos, é fornecido abaixo.

Sistema de gestão de qualidade

O sistema de gestão de qualidade da GORE Sealant Technologies é certificado de acordo com a ISO 9001.

EXCLUSIVO PARA UTILIZAÇÃO INDUSTRIAL

Não indicado para utilização em processos de fabricação, processamento ou embalagem de alimentos, fármacos, cosméticos ou dispositivos médicos